Quais os principais firewall existentes no mercado?

Escolher um bom firewall é fundamental para qualquer empresa que queira se proteger dos ataques cibernéticos, afinal, não é novidade para ninguém que a internet não é um território livre de perigos, apesar dos investimentos constantes para mantê-la o mais segura possível.

Entretanto, da mesma forma como a proteção evolui, as estratégias usadas pelos hackers também. Por essa razão, é fundamental utilizar as ferramentas de proteção certas para os computadores e para a rede usada pela companhia.

As organizações lidam diariamente com informações privilegiadas de seus clientes, fornecedores, parceiros e de seus próprios processos internos. Qualquer deslize pode provocar o vazamento desses dados, o que traz muitos problemas para o negócio.

A importância de se proteger fica ainda mais evidente por conta da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que multa e pune as organizações que não cuidam bem dos dados que possuem.

Além da própria lei, consumidores e outros envolvidos com a empresa podem procurar a justiça, caso sejam prejudicados por algum problema relacionado à falta de segurança.

Para esclarecer um pouco mais sobre esse assunto, neste artigo, vamos explicar o que é firewall, a importância de utilizá-lo e quais são os principais existentes no mercado. Confira!

O que é firewall?

Firewall nada mais é do que uma solução de segurança que se baseia em um software ou hardware, e que por meio de regras e instruções, analisa o tráfego de determinada rede e determina o que pode ser executado.

O termo em inglês pode ser traduzido como “parede de fogo”, e deixa claro que se enquadra em uma barreira de defesa.

O objetivo de um firewall é bloquear o tráfego de dados indesejados e liberar apenas os acessos permitidos.

Imagine, por exemplo, uma empresa de portaria virtual, que só libera a entrada para dentro do condomínio de pessoas que moram lá ou qualquer outro que esteja autorizado.

O firewall funciona da mesma forma, visto que é capaz de obedecer a determinadas condições, permitindo apenas os acessos autorizados e evitando que qualquer coisa seja retirada da rede da empresa. Dentre os problemas que ele pode evitar, estão:

  • Malware;
  • Programa de envio de dados valiosos;
  • Tentativas de invasão;
  • Acesso a sites maliciosos.

Seu funcionamento é como uma barreira que verifica quais dados podem ou não passar dentro da rede. Esse processo é feito por meio do estabelecimento de políticas estabelecidas pela própria companhia.

Ou seja, a restrição depende da necessidade do negócio, e existem aqueles que bloqueiam absolutamente qualquer tráfego no computador ou na rede.

Nesse caso, apesar de oferecer uma grande proteção, acaba isolando a máquina de toda a rede. Como alternativa, as clínicas masculinas podem criar uma regra para que todo aplicativo solicite uma autorização para ter o acesso liberado.

É possível fazer com que a autorização seja permanente, ou seja, uma vez que ela é dada, os acessos seguintes serão sempre permitidos.

Agora, uma empresa que quer mais versatilidade pode permitir o tráfego de alguns dados e bloquear outros.

Em vista disso, é correto afirmar que as políticas usadas no firewall se baseiam no tráfego que deve ser bloqueado e naquele que deve ser permitido.

Hoje em dia, existem opções mais avançadas desse software, que permitem direcionar determinado tipo de tráfego para sistemas de segurança internos, além de oferecer reforço em procedimentos de autenticação.

Importância do firewall para as empresas

O firewall é obrigatório para as empresas porque funciona como uma primeira defesa contra tentativas de invasão e infecção por meio de malwares. Com a chegada da LGPD, se proteger contra vazamentos de dados é indispensável.

Ele forma uma barreira na borda da rede e faz a criptografia das informações toda vez que elas entram ou saem do sistema.

Ou seja, o firewall usado por uma empresa de projetos de construção isola a rede interna da externa e traz mais tranquilidade para o departamento de TI, ao mesmo tempo em que traz mais liberdade para os colaboradores trabalharem.

Sabe-se que as empresas coletam um número muito grande de informações do público, e por essa razão é fundamental garantir a privacidade em relação aos dados de todas essas pessoas.

Uma rápida pesquisa na internet pode te mostrar a quantidade de organizações que já tiveram prejuízos absurdos por conta do vazamento de dados.

Portanto, é fundamental tratar esse assunto com seriedade, e o firewall deve ser o centro do planejamento. Isso porque, por meio dele, o TI consegue monitorar e assegurar a privacidade das informações.

Com a instalação do firewall correto, um hospital veterinário zona sul também tem mais facilidade para acompanhar em tempo real o tráfego de dados, tanto do que é enviado quanto do que é recebido.

Consequentemente, a equipe de TI terá mais facilidade para controlar o que está sendo usado. A gestão se torna muito mais eficiente e a produtividade geral da empresa melhora progressivamente.

Conheça os tipos de firewall

No mercado, existem diferentes tipos de firewall que as empresas podem investir, sendo que dentre os mais procurados estão:

1 – Packet Filtering (filtragem de pacotes)

Essa solução funciona de maneira simples, mas ainda assim, traz um nível de segurança elevado. Seu funcionamento consiste em uma lista de regras estabelecidas pelo desenvolvedor e que são analisadas pelo sistema.

Quando as informações são compatíveis, o usuário tem acesso ao autorizado. Mas caso as informações sejam incompatíveis, então o acesso é negado.

Existem dois tipos de filtragem de pacotes, sendo o estático e o dinâmico. O pacote estático analisa as informações levando em conta as regras, independentemente da ligação que cada pacote tenha um com o outro.

Embora seja uma boa solução, pode ocorrer alguns bloqueios de respostas necessárias por conta de conflitos criados, uma vez que as regras são estáticas.

Agora, se uma empresa de zeladoria e portaria optar pela filtragem de pacotes dinâmica, consegue corrigir as limitações do filtro estático.

Esse tipo permite criar regras adequadas ao cenário, fazendo com que os pacotes trafeguem sempre que necessário e durante determinado período.

2 – Proxy Services (firewall de aplicação)

Esse sistema de aplicação intermedia um computador ou rede interna com outra rede, que normalmente é a internet.

Costuma ser instalado em servidores potentes, uma vez que são criados para lidar com um número maior de solicitações.

Uma empresa de cobrança condominial encontra nesse tipo de firewall uma boa opção porque ele não permite a comunicação direta entre destino e origem.

Isso significa que todo o fluxo vai passar por ele, o que ajuda a estabelecer regras que impedem o acesso de certos endereços externos.

Além disso, essa opção executa outras tarefas, tais como o registro de tráfego de dados em arquivos de log, libera alguns recursos apenas quando o usuário faz uma identificação, além de armazenar conteúdos que costumam ser utilizados em cache.

Apesar de ser uma excelente opção, o proxy não é fácil de ser implementado, tendo em vista a grande quantidade de protocolos e serviços que existem na internet.

Em certas circunstâncias, isso acaba fazendo com que esse firewall seja muito trabalhoso em sua configuração, no que diz respeito ao bloqueio ou autorização de acessos.

3 – Stateful Inspection (inspeção de estados)

Se uma empresa de manutenção de notebooks investe nesse tipo de firewall, passa a trabalhar com uma opção considerada como a evolução dos filtros dinâmicos.

O software de inspeção compara o que está acontecendo na rede da corporação e o que se espera que aconteça. Para fazer esse levantamento, ele analisa todo o tráfego de dados para encontrar padrões aceitáveis pelas regras estabelecidas.

Estes, por sua vez, conseguem manter uma boa comunicação. Todas as informações são mantidas pelo firewall e passam a ser usadas como parâmetros para determinar o tráfego futuro.

Se por um acaso a transação de dados acontecer por meio de uma porta não mencionada anteriormente, ele consegue detectar a situação como algo anormal e providenciar o bloqueio imediatamente.

Conclusão

Uma empresa de consultoria fiscal, assim como diversas outras, coletam e ligam diariamente com uma grande quantidade de informações, não apenas de seus clientes, mas também de seus procedimentos internos.

Imagina o prejuízo que seria ter todos esses dados publicados para qualquer pessoa ver na internet. No mínimo, a companhia terá sua imagem prejudicada, prejuízos financeiros, além de problemas com a justiça.

Infelizmente, existem muitos criminosos que atuam na internet e eles utilizam ferramentas inteligentes e que são capazes de aproveitar qualquer brecha no sistema de segurança da informação.

Para não abrir espaço, a melhor coisa a se fazer é usar uma barreira de proteção, e é exatamente para isso que o firewall serve. Como vimos neste artigo, é possível encontrar diferentes opções no mercado.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

F5 Networks
tenable
kaspersky
isc2
security mentor
manageengine
sophos

Últimas Notícias do Blog