Como trabalhar o array na programação?

O array é uma categoria de objeto presente em muitas linguagens de programação para a organização de objetos. Presente em ferramentas de front e back-end, compreender sua importância passa pela compreensão das variáveis em um código-fonte. 

Presente no Javascript, PHP, Python, C#, Java e muitas outras, constitui-se em um modelo de organização de informações, estando estas sob o formato de “string” ou “number”. Enquanto as strings são lidas como palavras, os numbers são números. 

Trabalhar o array corretamente é um passo importante no processo de aprendizado de uma linguagem. Através deles são organizados os dados em bases virtuais, são exibidos grandes volumes de informação de maneira clara para o usuário, entre outras funções. 

Trata-se de um objeto especial nas linguagem de programação, onde objetos são os valores estabelecidos para cada variável. Para entendê-lo, é recomendável começar por suas aplicações mais simples, evoluindo para outras mais complexas. 

Array no Javascript

O Javascript é a linguagem mais utilizada na atualidade, massivamente empregada na construção de sites e aplicativos. Muitas plataformas virtuais, desde sites de pesquisa até pequenos jogos, ganharam novas funcionalidades com a inserção do recurso. 

Para compreender a atuação do Javascript nos sites, é importante recuar alguns passos no tempo e conhecer dois modelos de estruturação de informação na web: o HTML e o CSS. 

O primeiro, denominado “HyperText Markup Language”, lança as bases para a diagramação da informação exibida em plataformas online. Dele surge o termo usado para denominar os dois recursos: linguagens de marcação, como um projetos de arquitetura diante da obra. 

O HTML é composto por uma estrutura que permite a inserção e configuração de textos dentro de um site. Suas cinco atualizações expandiram as capacidades para a inclusão de tags específicas para motores de busca. 

No HTML, a estruturação de dados é realizada por meio de “DIVs”, sendo as categorias “class” e “id” as mais utilizadas. As divs podem incluir outros dados, como pequenos valores de formatação, textos, números e links. 

Durante a criação de uma lista com links embutidos em uma sequência de palavras, a div pode ser empregada para estabelecer a palavras e uni-la a outro elemento, o “a href”, relacionado à indexação de endereços de página. 

Contudo, a capacidade de organização desses blocos de informação é seriamente limitada com o uso exclusivo da marcação HTML. A incorporação do CSS incluiu uma nova camada de formatação nas páginas de uma empresa de entregas de medicamentos

A sigla, que pode ser traduzida como “folhas de estilo em cascata”, o CSS permitiu a introdução de cores, formas, estabilizou a diagramação dos elementos de página, criou efeitos nos links e abriu espaço para animações que seriam exploradas em Javascript

Esta linguagem, por sua vez, desenvolveu estruturas de interação com o público, abriu o leque de possibilidades estéticas e de funcionalidades, além de melhorar a interface de fichas e de adesivo personalizado

Entre as muitos tipos de array, sua estrutura surge em um conjunto de elementos que se repetem, apesar das variações. Um array é inserido no código-fonte desta forma: 

“var listas = [‘primeiro elemento’, ‘segundo elemento’];”, onde o emprego de colchetes é um indicador crucial deste tipo de objeto, em contraste com uma string comum, como em: “var idioma.toLocaleString(‘pt-br’);”, onde há o uso de parênteses. 

O array organiza os valores de uma variável de modo a associá-la a um índice numérico sempre com início em zero. Isso significa que, no exemplo dado, a sentença “primeiro elemento”, tem valor de 0 e “segundo elemento”, tem valor de 1. 

Um exemplo de organização deste modelo é a criação de um conjunto de listas com informações demográficas sobre um grupo de quatro pessoas inscritas em uma auto escola. Note, no exemplo, a disposição de dados no código-fonte: 

var clientes = [‘João’, ‘Camila’, ‘Helena’, ‘Carolina’, ‘feminino’, ‘masculino’, ‘Norte’, ‘Nordeste’, ‘Centro-oeste’, ‘Sudeste’, ‘Sul’]; 

console.log(“Cliente:” + clientes[0]); 

console.log(“Sexo:” + clientes[5]); 

console.log(“Região:” + clientes[8]); 

console.log(“Dados:” + clientes[0]); 

O resultado de saída ficará algo como: 

  • Cliente: João;
  • Sexo: masculino;
  • Região: Centro-oeste;
  • Dados: (inserir).

Para realizar os outros elementos da ficha, não é necessário repetir nenhuma informação de perfil, utilizando a marcação do array para exibição do dado correspondente por meio do recurso “console.log”. Observe, ainda, a disposição de números nos valores da variável. 

Em um contexto de preenchimento de muitas informações repetidas, os arrays são ferramentas excelentes para reduzir a prolixidade do código, tornando sua leitura mais agradável para colegas de equipe ou supervisores de TI. 

Array em Python

Segunda linguagem de programação mais utilizada, construir arrays em Python é ligeiramente distinto da estrutura em Javascript. Essas diferenças podem ser justificadas pela inserção de listas, próprias da linguagem back-end

Linguagem back-end é o termo empregado para definir todo recurso de programação usado para criar e monitorar estruturas de armazenamento e compartilhamento de dados via web, englobando a transmissão de rede e métodos de machine learning

As listas, em Python, muito usadas em assessoria contábil, apresentam uma estrutura sintática muito semelhante aos arrays, como a presença de colchetes. Contudo, existem diferenças fundamentais que não podem ser ignoradas, como: 

  • Listas contém strings e números, arrays permitem apenas um tipo; 
  • Tamanho: nos arrays, não podem ser modificados, nas listas, podem; 
  • Arrays são geralmente usados para números, e listas, para strings
  • Para expansão dos arrays, é necessário criar outro.

Por seu uso mais amplo em números, os arrays podem soar como estruturas limitantes em relação às listas no Python. No entanto, o recurso é apontado como mais eficiente para a organização de grandes volumes de números em formato “int” ou “float”. 

Int e float são valores numéricos que mudam o comportamento desses objetivos, capaz de interferir no resultado final de diversas operações. Enquanto a condição int não aceita decimais, float os considera parte da soma, multiplicação e outras relações. 

Array em C#

Também denominada CSharp, a linguagem C# também emprega arrays de um modo semelhante às linguagens anteriores, com sintaxe envolvendo o uso de colchetes e separação de termos por meio de aspas e vírgulas. 

A principal diferença entre o uso do recurso em C# das demais estruturas é a inserção de um número definido de elementos na primeira linha do código. Na criação de uma ficha para hospedagem para idoso, um array deve ser estabelecido da seguinte forma: 

“tipo de elemento[ ] nome = novo tipo de elemento[tamanho do array];”, de modo que o tipo é especificado em int ou float para o caso de números e no tamanho do array, o programador define a quantidade de elementos que estarão contidos no array

Só após a criação desta linha, é possível inserir cada objeto com base na classificação pré-estabelecida. Os elementos que compõem o array, por sua vez, podem ser inseridos por meio de chaves, como em uma variável comum. 

A importância do array para a programação

Os arrays são tipos de objetos presentes na maior parte das linguagens de programação disponíveis, uma onipresença justificável por sua grande contribuição na organização de informações em um código-fonte, viabilizando funcionalidades como: 

1 – Integração de dados 

Sem o array, cada informação presente em uma lista teria de ser repetida múltiplas vezes, tornando a codificação mais complexa e sua leitura mais confusa, suscetível a erros. O recurso de inclusão de múltiplos objetos em um simplifica a distribuição de dados. 

O array é, por si, considerado um objeto, como o string e o number. Entretanto, sua posição especial repousa sobre sua capacidade de compilar muitos outros objetivos, viabilizando a menção de sua variável para inserir um dos elementos em qualquer linha de código.

Para uma empresa de automação de circuito de câmeras, o recurso é muito valioso para a integração de códigos produzidos por desenvolvedores distintos, em linguagens distintas. Uma sintaxe mais limpa reduz erros e aumenta a produtividade. 

2 – Redução de riscos de erro humano 

A realização de tarefas repetitivas é considerada arriscada, uma vez que o hábito desestimula a concentração do indivíduo, aumentando suas chances de erro. A inserção de arrays funciona como uma automação da inclusão de dados em listas. 

A programação de atualizações em bancos de dados de endereço fiscal virtual, ou exibição de informações em interfaces para o usuário torna-se mais rápida e precisa com o recurso de organização. 

Além da criação e referência de elementos presentes nos arrays, é possível incluir novas funcionalidades que auxiliam na manipulação dos dados presentes nestes objetos, como os métodos: 

  • Concat: reunir dois arrays, respeitando sua ordem de valores; 
  • Length: contar o número de elementos presentes em um array
  • Filter: integração do array a uma função, estabelecendo condicionais; 
  • ToString: inclusão dos elementos de uma array em uma string

Além desses, muitos outros viabilizam operações matemáticas complexas, automatizam processos de tratamento de dados e facilitam o desenvolvimento de estruturas robustas em estatística e álgebra avançada. 

Conclusão

O array é um grande recurso das linguagens de programação, usados para o desenvolvimento de interfaces responsivas para o usuário ou na criação de bancos de dados para centros de pesquisa. 

De inteligência artificial até web design, os arrays são versáteis em termos de inclusão sintática e recursos acessórios, que permitem sua manipulação em muitas funcionalidades previstas para números e palavras. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

F5 Networks
tenable
sophos
manageengine
kaspersky
isc2
security mentor

Últimas Notícias do Blog