Como desenvolver um software eficaz?

Chamamos de software um programa utilizado no computador e outros tipos de dispositivos, como o celular, com o objetivo de executar diferentes tarefas.

Um bom exemplo de software que usamos no dia a dia é o Windows e até mesmo os aplicativos que fazem parte do nosso cotidiano.

A tecnologia impôs às empresas a necessidade de inovar e investir em recursos que facilitam o dia a dia de muitas formas. 

Chega a ser difícil imaginar que uma organização sobreviveria ao mercado sem contar com esses recursos.

Por exemplo, como seria para a redação de um jornal se não pudesse usar recursos mais avançados como o Word.

Você pode até responder que a máquina de escrever já ajudava nesse sentido, mas, convenhamos, ela não se aproxima desse software em questão de agilidade e facilidade.

O trabalho de muitos profissionais e companhias seria difícil sem ajuda das ferramentas que temos hoje. 

Até mesmo a saúde financeira da organização pode ser comprometida sem o uso de um software.

Pensando nisso, neste artigo, vamos explicar o conceito de software, como ele pode ser desenvolvido e sua importância para as organizações. 

Qual o conceito de software?

Chamamos de software uma série de instruções que precisam ser seguidas e executadas por determinado mecanismo, como no caso do computador. 

Na verdade, esse termo serve para descrever recursos, como:

  • Programas;
  • Aplicativos;
  • Macros;
  • Scripts;
  • Firmware.

Sendo assim, é por meio dele que ditamos o que uma máquina precisa fazer, assim sendo, todo programa que uma empresa de locação de aparelhos estéticos possui instalado em seus computadores é um tipo de software.

Aliás, os programas que você tem instalado em seu computador, TV, vídeo game, mas celular, tablet e outros aplicativos também são softwares.

Fazemos uso de diferentes tipos, como editor de textos, jogos, aplicativos de streaming, navegadores, dentre outros e nem mesmo nos damos conta.

Isso acontece porque ele pode assumir formas diferentes, como no caso de um aplicativo no celular ou até mesmo um conjunto de cartões perfurados que eram usados em computadores eletromecânicos.

Os três tipos de software que existem são o de programação, que são ferramentas usadas para desenvolver outros programas, por meio de diferentes linguagens de programação.

Também existe o software de sistema que se encarrega de fazer a comunicação entre o computador e o usuário. 

Em outras palavras, são plataformas que servem para rodar outros softwares, como no caso do Windows.

Por fim, o software de aplicação são programas como player de vídeo e música, calculadoras, redes sociais, aplicativos, dentre outros.

Seu objetivo é executar diferentes funções, auxiliando, por exemplo, na elaboração de um projeto de arquitetura para escolas.

As empresas precisam muito desses programas em seu dia a dia, por isso, eles precisam ser pensados e desenvolvidos do jeito certo.

Qual é o processo de desenvolvimento de software?

Uma desenvolvedora de software segue um procedimento importante para criar esses programas, e assim atender às necessidades e objetivos de seus clientes. 

É muito importante entender quais são as razões do cliente para desenvolver determinado software, depois que isso é feito, é um momento de especificar como será sua produção.

Isso envolve escolher as tecnologias que serão utilizadas e, claro, a equipe de trabalho. Geralmente, as desenvolvedoras utilizam ferramentas como Python, Java, JavaScript e Ruby.

A equipe, por sua vez, deve ser composta pelo gerente de projeto, desenvolvedores e testador. A quantidade de membros vai depender muito da empresa e da necessidade do programa a ser criado.

É necessário definir qual será o processo de desenvolvimento do software, por meio de metodologias ágeis que melhoram a dinâmica do grupo e garantem a qualidade do projeto.

É nesse momento que a desenvolvedora vai entregar uma parte do processo para seu cliente, que pode ser uma empresa de avaliação de ativos. Isso significa que cada etapa finalizada é apresentada para avaliação e feedback.

Também é aqui que definimos o funcionamento do programa e apresentamos seus componentes. É como se fosse o mapeamento do processo de construção, para assegurar que tudo seja executado do jeito certo e atendendo às especificações.

Para coordenar bem a equipe, é fundamental fazer reuniões de planejamentos, acompanhamento e feedback.

As reuniões podem ser feitas com todos os membros da equipe ou apenas alguns, quando houver a necessidade de falar sobre tarefas específicas.

É muito interessante incluir o cliente nessas reuniões, pois elas são a oportunidade perfeita de mostrar as funcionalidades e alinhar o produto às necessidades do cliente.

Depois de alinhar com a empresa de vistoria de carros todas as características do software, este é o momento de criar uma cadeia de desenvolvimento que vai orientar o andamento do projeto.

Depois que o software ou uma parte dele é finalizada, a primeira etapa é a de testes, eles são executados para verificar a funcionalidade, o que pode ser feito de maneira automatizada ou pelo testador da equipe.

É dessa forma que a desenvolvedora encontra erros e outras informações importantes para o comportamento do sistema.

A etapa seguinte se dá pela finalização do software, mas antes de considerá-lo como terminado, é necessário verificar se é responsável, se está passando em todos os testes e se é compatível com o ambiente de qualidade de código,

É nesta etapa que a desenvolvedora coloca em prática a integração contínua, o que faz a integração dos códigos mais eficaz, utilizando testes automatizados.

É a melhor maneira de detectar falhas, além de impossibilitar a integração de códigos criados por diferentes partes do projeto.

Na etapa de homologação, o software desenvolvido para uma empresa de controle de acesso começa a ser utilizado e verificado.

Um pequeno grupo de pessoas terá acesso ao projeto para verificar seu desempenho e se ele realmente corresponde às necessidades de criação. Também podemos verificar se o programa está de acordo com o que foi solicitado pelo cliente.

Depois disso, ele será inserido no ambiente de produção e finalmente será implementado para os usuários finais.

Para garantir o bom funcionamento do programa, é fundamental fazer as devidas manutenções e atualizações. 

Isso ajuda a prevenir problemas de funcionamento, além de permitir a inserção de novas funcionalidades, caso seja necessário.

Importância do software para as empresas

Empresas dos mais variados setores, como uma clínica médica integrada, como estão com diferentes tipos de programas em seu dia a dia. E eles são importantes porque trazem muitos benefícios, como:

Atende às demandas da organização

Muitas empresas procuram desenvolver softwares personalizados que atendam às especificidades de sua gestão. 

O objetivo é fazer com que todos os processos internos sejam integrados em uma única plataforma.

Por outro lado, quando a companhia não utiliza um sistema programado e que não conta com a possibilidade de ser moldado, surge a necessidade de fazer várias mudanças.

Mas, tentar fazer isso em uma ferramenta já existente, pode acarretar gastos maiores, levando à perda de tempo e dinheiro.

Melhora a produtividade da equipe

Se uma empresa de consultoria financeira conta com o respaldo de um bom software, consegue melhorar consideravelmente sua produtividade.

Isso acontece porque quando a ferramenta é integrada ao funcionamento dos processos, fica mais fácil ter acesso a tudo o que acontece dentro da companhia.

Sem falar no fato de que trabalhos burocráticos e repetitivos podem ser transferidos para o sistema, reduzindo consideravelmente a incidência de erros.

Uma vez que isso acontece, a organização também melhora suas tomadas de decisões, tornando-as mais rápidas e seguras.

Melhora os processos operacionais

Se o seu negócio conta com o programa customizado, consegue melhorar a harmonia de todo o trabalho. 

Os processos internos se tornam mais ágeis e fica muito mais fácil monitorar as tarefas.

Devido à possibilidade de integrar o ambiente corporativo, também vemos um grande progresso nas atividades diárias da equipe, melhorando as estratégias de trabalho.

Nesse sentido, uma escola infantil integral, por exemplo, melhora cada etapa de produção e melhora consideravelmente a prestação de serviços.

Ajudar a gerir os custos

Sabe-se que é necessário investir um valor para implantar o software, mas essa ferramenta pode evoluir junto com o negócio.

Com isso, a economia de custos começa a refletir em diferentes setores, sem falar no fato de que torna os processos internos mais ágeis e reduz as falhas da companhia.

Conclusão

Sendo assim, investir em um software personalizado para o seu negócio é uma maneira de melhorar seus processos internos e conquistar mais facilidade.

A melhora dos processos se reflete na qualidade do produto ou serviço, algo que vai impactar de maneira positiva na satisfação dos seus clientes, e clientes satisfeitos é sinônimo de lucros e bons retornos desse investimento.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

tenable
F5 Networks
kaspersky
manageengine
security mentor
sophos
isc2

Últimas Notícias do Blog