Transformação digital: como aplicar nas empresas?

Já não é segredo para nenhum empresário ou gestor como a tecnologia tem se tornado importante nos dias de hoje. Aos poucos, as empresas vão percebendo como a transformação digital pode revolucionar um negócio.

De fato, uma pesquisa recente da Advance Consulting, grande referência de estudos da área, mostra que no Brasil o mercado de TI é um dos que mais crescem, sendo que no último período a curva de ascensão ficou na casa dos 30%.

Isso se deve à movimentação feita entre empresas, seja qual for a proporção delas. Como quando um escritório contrata uma solução de infraestrutura de rede, ou quando uma fábrica faz upgrade em todas as máquinas do seu pátio.

Esse, inclusive, é outro ponto interessante, pois a tecnologia se disseminou e evoluiu tanto que ela pode remeter a uma infinidade de soluções, indo desde smartphones e tablets de uso pessoal, até grandes maquinários industriais.

Também assim, nenhuma empresa recorrerá à transformação digital por um motivo apenas, mas sim, por vários deles. Seja para otimizar processos, enxugando gastos e ampliando as margens de lucro, ou para aumentar a segurança na operação.

Por exemplo, uma fábrica de brindes corporativos diferenciados pode conseguir uma excelência maior no acabamento dos seus brindes. Mas também vai conseguir mais segurança para os colaboradores, o que melhora a qualidade geral lá na ponta.

Essa organicidade do fator tecnológico é um dos pontos mais importantes. É justamente essa compreensão mais abrangente, ou uma visão holística, como se diz hoje, que o empresário ou gestor precisa desenvolver ao entrar nesse assunto.

Assim, as novidades tecnológicas poderão cumprir vários papéis ao mesmo tempo, garantindo um retorno que faça mais sentido no curto prazo, aumentando as vendas e a carteira de clientes. Mas também no médio e longo prazo.

Por isso decidimos escrever este artigo, explicando como a transformação digital pode ser aplicada nas empresas de qualquer segmento. O que pode começar com um computador novo e acabar como uma renovação completa.

Além disso, vamos detalhar sua importância e suas consequências gerais. Então, se você quer entender de uma vez por todas como utilizar a tecnologia para revolucionar a sua empresa, trazendo um crescimento mais sólido, basta seguir adiante na leitura.

Que transformação é essa?

Já se foi a época em que as organizações contavam apenas com o esforço individual dos funcionários e com recursos impressos como agendas, murais ou lousas na sala de reunião.

Nesse sentido, a digitalização é um processo que já aconteceu de modo espontâneo. Basicamente, não há uma empresa, por menor que seja, que não conte com ao menos um computador, celular e até outros equipamentos.

Contudo, ao falar sobre transformação digital, estamos nos referindo a algo muito mais disruptivo, que muda o modo de pensar e até mesmo a filosofia da marca.

Por exemplo, uma empresa de transporte de cargas que queira estar sempre em dia com as novidades de sua área, como GPS e sistemas integrados, vai precisar incluir isso na cultura organizacional do seu negócio, impactando a rotina da firma.

Nesse sentido, já não importa qual seja o produto, serviço ou solução qualquer oferecido pela empresa. O produto pode não ter nada de tecnológico, como um hambúrguer e, ainda assim, a linha de produção e de preparo pode ser altamente moderna.

Deste modo, basicamente os pontos que vão se relacionar com a transformação digital são os seguintes:

  • Otimização de processos;
  • Redução de gastos e custos;
  • Aumento das margens de lucro;
  • O aumento da segurança;
  • Foco na experiência do consumidor;
  • Crescimento nas vendas;
  • Cultura de adaptação constante.

Sendo assim, também podemos falar em produtos analógicos, que prescindem de tecnologia ou de uma instalação de internet, mas cuja experiência de consumo do cliente pode tornar-se marcante e memorável do mesmo modo.

Por exemplo, uma loja de roupas que não vende nenhuma tecnologia, mas pode criar uma loja virtual exemplar em termos de experiência do usuário, ou um showroom futurista que ajuda a criar a identidade daquela empresa como algo digital e tecnológico.

Essa é a lógica da transformação digital, que deste modo passa a ser vista e absorvida como um paradigma capaz de reinventar ou revisitar todo um negócio.

O nosso contexto histórico

Também não é possível falar sobre transformação digital sem mencionar um dos lados mais impactados com essa decisão corporativa: o consumidor, comprador ou cliente em geral.

De fato, um dos principais capítulos de quem estuda essa história é o das Gerações Y e Z, que são as pessoas nascidas dos anos 1980 e 2000 para cá, respectivamente, vistas pela ótica do perfil de compra que elas apresentam.

Trata-se de pessoas que cresceram com um acesso muito maior ao computador, à internet e depois aos celulares inteligentes, redes sociais, motores de busca por voz e afins.

Obviamente, a experiência que elas têm de contato com as marcas mudou drasticamente. Esse é um dos principais fatores pelos quais uma marca precisa digitalizar-se e evoluir, pois do contrário, ela vai ficar para trás.

Por exemplo, quem faz terceirização de serviços precisa estar online o tempo todo, por meio de plataformas de gestão de trabalho remoto, ou mesmo das mídias sociais como as que trocam mensagens dinâmicas.

Isso tudo reflete um contexto cultural e até político-econômico que praticamente obriga as organizações a se renovarem constantemente, sob o risco de serem engolidas pela concorrência ou pela rejeição do mercado e da clientela.

Como manter-se atualizado?

Um passo imprescindível para a transformação digital é ter conhecimento, pois ele antecede qualquer esforço prático de inovar. Então, é preciso ficar em dia com palestras, fóruns, eventos e sites que trazem esse tipo de novidade.

Assim é que o empresário e o gestor começam a se preparar para o futuro, começando a desenhar as mudanças que já podem ser feitas a partir de hoje.

De fato, como a transformação digital é um tipo de processo, que nunca termina, já que as novidades são constantes, é necessário ter um mapa muito claro do caminho que será traçado.

1 – O papel da integração digital

Quem já tem um mapa ou agenda das transformações vindouras, certamente vai perceber a necessidade de integrar processos por meio de softwares, plataformas ou aplicativos.

Um exemplo são os ERP (Enterprise Resource Planning), que fazem o Sistema de Gestão Integrado para qualquer setor da empresa, do RH até o comercial ou a segurança.

Assim, quem faz algo como uma assessoria empresarial, pode instalar um software que permita realizar uma ponte bacana entre a própria equipe e aquela do cliente que recebe a assessoria, tornando a rotina muito mais prática.

No comercial esse tipo de solução costuma vir do CRM (Customer Relationship Management), que é a Gestão de Relacionamento com o Cliente. Ela permite um atendimento bem mais customizado e personalizado para cada cliente.

2 – O poder do Big Data

É comum ouvirmos o termo Big Data, mas nem sempre entendemos a fundo do que se trata. Na verdade, é uma das maiores revoluções da modernidade.

Ele remete a toda geração de conteúdo e informação que ocorre no mundo, algo que hoje é incontável, graças à internet. Porém, no caso de uma empresa, isso precisa ser controlado e racionalizado por meio da transformação digital.

Um modo prático de fazer isso hoje é o BI, sigla para Business Intelligence, que é a Inteligência de Negócio que organiza as informações e ideias de modo estratégico.

Aí é que acontece a mágica do data-driven, que nada mais é do que a organização das informações com vistas a tornar cada processo melhor e mais abrangente, permitindo que a operação e a própria empresa ganhem em termos de escala.

3 – Sobre nuvem e mobilidade

Outro termo que se popularizou é o de Cloud Computing, ou Computação em Nuvem, que permite hospedar dados e dispositivos em servidores que podem ser acessados de qualquer lugar do mundo.

É mais ou menos como ter um escritório virtual, no qual qualquer colaborador pode trabalhar de onde estiver, seja ele interno, como um administrador, ou externo, como um vendedor.

Em tempos de home office essa tecnologia precisa entrar na transformação digital de qualquer empresa, garantindo uma agilidade e um diferencial enormes.

Basta imaginar um cenário em que um gestor precisava ficar ligando ou mandando e-mail para um colaborador remoto. Hoje, ele consegue delegar funções e fiscalizá-las com poucos cliques de um computador ou celular.

Isso vale para atividades, trabalhos, tabelas e até documentos que podem ser acessados mutuamente por várias pessoas, desde que elas tenham o acesso via login.

O poder de mobilidade e integração que isso traz ainda ajuda em termos de comunicação entre setores, como o marketing e o comercial, controle logístico e de estoque, entre outros.

Considerações finais

Podemos falar em softwares, aplicativos, Big Data, data-driven, Computação na Nuvem e muito mais, tudo isso como parte da transformação digital.

O mais importante, porém, é entender os conceitos que trouxemos acima. Assim é que os conselhos mais práticos vão poder se enraizar em sua empresa, permitindo um crescimento sólido e sustentável.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

isc2
sophos
manageengine
F5 Networks
kaspersky
tenable
security mentor

Últimas Notícias do Blog